PESQUISAR 
Política
0

O ‘cala bola’ a Carlos Nelson: a municipalização da merenda

O ‘cala bola’ a Carlos Nelson: a municipalização da merenda

Por Paulo Henrique Tenorio

Se existe ao menos um motivo para Gustavo Stupp se orgulhar, não resta a menor dúvida que a municipalização da merenda escolar será o legado que cairá no colo justamente de quem ele mais se opôs como vereador. Como vereador e candidato a prefeito em 2012, Stupp pegou carona nos efeitos causados pela ação do Ministério Público que denunciou o cartel da merenda escolar, esquema que envolveu empresas que combinavam preço na licitação em Mogi Mirim, durante o governo Carlos Nelson Bueno (2005-2012).

A denúncia afetou em cheio a campanha da então vice-prefeita Flávia Rossi na campanha da sucessão. Embora fosse um caso de investigação do Ministério Público, Stupp usou o tema como peça de campanha. Conseguiu o que queria. Colou em Flávia Rossi, então diretora de Educação quando os acordos de terceirização da merenda foram assinados, como beneficiada neste esquema que rendia à empresa responsável pelo serviço um contrato de R$ 9 milhões ao ano.

LEIA MAIS:
Gustavo Stupp encerra ‘calvário’ de 4 anos

Paralelamente, aliados de Stupp na Câmara iniciaram uma investigação que revelou que a qualidade dos alimentos levados aos pratos dos estudantes era de qualidade duvidosa. Não resta a menor dúvida que a ação do MP, aliada à campanha destrutiva de Stupp contra Flávia Rossi e o governo Carlos Nelson, definiram o resultado daquela eleição. Stupp prometia municipalizar o serviço. Havia a garantia de uma grande economia.

Que não veio nos dois primeiros anos. De R$ 9 milhões, a merenda passou a custar R980 mil por mês, apenas com o fornecimento nas escolas municipais – o convênio para o fornecimento às escolas estaduais não foi renovado. Até Márcia Róttoli de Oliveira Masotti assumir a Secretaria de Educação e atuar, com aval de Stupp, para municipalizar o serviço da merenda escolar.

A merenda municipalizada se tornou realidade no dia 17 de fevereiro, com o início do ano letivo nas 20 Emebs (Escola Municipal de Educação Básica). E com a reimplantação do sistema, depois de uma década terceirizada, a Secretaria Municipal de Educação comemora os resultados, não apenas em relação à flexibilidade no trabalho, mas, principalmente, em relação à economia.

O resultado é sentido agora. Com uma média mensal de gasto na ordem de R$ 360 mil para servir mais de 13 mil refeições por dia, incluindo as 20 Emebs, os 13 Cempis (Centro Municipal da Primeira Infância) a Brinquedoteca e as quatro entidades assistenciais atendida pela Prefeitura (Apae, CCI, Lar Aninha e Casa da Criança), a economia em relação ao custo mensal anterior com a Angá Alimentação e Serviço, que era a empresa responsável pela merenda escolar até o final do ano, é de 67%. Com a Angá, a despesa mensal era de cerca de R$ 1,1 milhão. “Teve mês que chegamos a pagar R$ 1 milhão ao mês, mas com a municipalização, não pagamos R$ 400 mil. Isso se refere à contratação de merendeiras, transporte, produtos. Isso foi um grande ganho para a cidade. Deu autonomia para as diretoras atuarem na qualidade dos alimentos”, disse Márcia.

Para Márcia, a flexibilização no serviço é um ponto a ser destacado. “As merendeiras, juntamente com as diretoras, têm liberdade para mexer no cardápio, sem que haja prejuízo nutritivo para os alunos. Temos o envolvimento da comunidade escolar. As merendeiras trazem um tempero diferente de casa e há escolas que cultivam hortas de tempero para ser usadas numa salada e no preparo das refeições”, ressaltou.

Os horários das refeições também foram alterados para melhor intercalar o serviço. Antes, a merenda da manhã era servida às 8h40, apenas uma hora e quatro minutos após o café. Passou para as 9h30. À tarde, o café era distribuído às 16h00, uma hora após a merenda. “Passamos para perto do horário de saída, que é às 17h30”, informou a agora coordenadora.

Compartilhar:
  • googleplus
  • linkedin
  • tumblr
  • rss
  • pinterest
  • mail

escrito por: Jornal O Impacto

tem 0 comentários

Deixe um comentário

Quer expressar sua opinião?
Deixe uma resposta!