PESQUISAR 
Geral
0

Polícia investiga assassinato de mecânico

Polícia investiga assassinato de mecânico

Por Paulo Renato Lilli

As investigações ainda estão no início, mas, todas as evidências indicam que o mecânico Milton Lima Dias, 51, foi assassinado. Morador em Mogi Guaçu, no Jardim Alvorada, Dias foi encontrado morto na manhã de sábado, 15, em Mogi Mirim, num ribanceira na área da antiga rua do Curtume. Ele estava com o rosto muito machucado e apenas de cueca. A família informou que o laudo médico constatou que o motivo da morte foi asfixia.

O mecânico estava desaparecido desde sexta-feira, 14, conforme Boletim de Ocorrência registrado por sua esposa, Genézia Bertulino dos Santos, 62, junto à Central de Polícia Judiciária, em Mogi Guaçu. Na ocasião, ela relatou que o mecânico estava afastado do serviço em razão de um acidente de trabalho. Como era alcóolatra, era frequente ele sair para beber e ficar fora de casa por uns dois dias.

Genézia contou que na quarta-feira, 12, ele chegou em casa com o rosto machucado e o olho inchado. Disse apenas que havia brigado no dia anterior, sem informar, porém, queria seria o agressor. Procurou atendimento médico no Hospital Municipal Dr. Tabajara Ramos, onde passou a noite.

Na madrugada seguinte, Dias começou a ver animais no quintal. Vendo que ele não estava bem de saúde, a esposa chamou uma ambulância que o levou até o Pronto Socorro do HM. Durante a madrugada, Genézia percebeu que ele saiu para fumar na frente do Hospital. E depois, não foi mais visto. Ela voltou para casa e também não o encontrou por lá.  Por isso, decidiu registrar a ocorrência.

No sábado pela manhã, vigilantes do Condomínio Jequitibás, à margem da rodovia Nagib Chaib, avistaram um corpo só de cueca, caído numa ribanceira ao lado da estrada. Ele estava dentro de um buraco de aproximadamente seis metros de profundidade. O Corpo de Bombeiros desceu uma ‘maca cesto’ até o fundo do buraco para resgatar o corpo. O cesto foi içado com uma corda.

A vítima não portava documentos e somente foi identificado no início da noite, quando Genézia procurou a Delegacia.  Ela disse que desconfiou de que o corpo poderia ser o do marido, após ler notícia publicada no site do encontro de cadáver. O que lhe chamou a atenção foi a informação de que o homem morto tinha ferimentos no rosto.

Familiares do mecânico pedem empenho da polícia na prisão do assassinato de Dias. “O laudo constatou que o motivo da morte foi asfixia. Meu pai foi brutalmente espancado e enforcado até a morte. Tamanha crueldade não permitiu que seu caixão fosse aberto. Nossa suspeita é verdadeira e alguém o pegou e o matou, e foi jogado lá depois de morto. Quero justiça”, disse Débora, umas das filhas.

Compartilhar:
  • googleplus
  • linkedin
  • tumblr
  • rss
  • pinterest
  • mail

escrito por: IM44

tem 0 comentários

Deixe um comentário

Quer expressar sua opinião?
Deixe uma resposta!